sábado, 27 de junho de 2009

E hoje em dia, como é que se diz "eu te amo"?

E já que é pra falar de amor... vamos começar com um mestre...
Leia com trilha sonora... O poema e a música são perfeitos juntos, mas não achei no youtube com eles cantando, então segue separado... :(








O mundo anda um lugar estranho... principalmente no que diz respeito à relacionamentos...
Bom, e no meio disso, não sei se a errada sou eu ou o mundo, mas com certeza nós não nos entendemos... Vira e mexe me vejo querendo perguntar a Deus se eu não vim parar aqui por engano... isso por vários motivos, mas os relacionamentos são uma parte importante disso.
Quase todo mundo que eu conheço tem medo de se envolver, medo de se machucar, medo de gostar de alguém, de dividir a vida com este alguém...
Quase todo mundo que eu conheço tem medo de amar...
Quase todo mundo que eu conheço tem medo de ouvir "eu te amo"
E mesmo assim quase todo mundo que conheço quer ser amado. Será que as pessoas não percebem o contra-senso (ou será que agora é contrasenso?? - Odeio a reforma ortográfica!!!rs)
Como alguém pode querer ser amado, mas não amar? Como alguém pode querer amor, mas não se envolver??
De que amor essas pessoas estão falando???
Como alguém pode querer relacionamentos sem problemas, sem dificuldades, sem trabalho?? Quando foi que o mundo se acostumou a se acomodar com aquilo que é mais fácil??
E no meio disso estou eu, intensa, apaixonada, acreditando que as coisas mais difíceis são aquelas que mais valem a pena; acreditando que se querer estar com alguém porque sabemos que não corremos risco de sofrer é a maior idiotice do mundo, afinal, quem quer estar com alguém que não vai deixar marcas se partir? Quem quer estar com alguém sabendo que quando acabar não ficará o vazio do espaço que aquela pessoa ocupou em nossas vidas??
Qual o sentido disso??
Vivo tudo intensamente, principalmente o amor. E mais de uma pessoa já se assustou com essa intensidade.
Não tenho medo de dizer "eu te amo", e odeio este mundo no qual temos que fingir não amar para sermos amados, fingir não ligar para que liguem pra gente.
Confesso que sou totalmente perdida no meio desses não-relacionamentos modernos onde "amigos" "saem juntos" por mais de um ano sem se envolverem... Preciso realmente que alguém me explique - como???
Amo intensamente. Isso significa acreditar que o amor é pra sempre, embora saiba que os relacionamentos não. O amor se adapta a cada tipo de relacionamento, é verdade, e com isso vai se modificando; mas ainda não descobri como tirar alguém do meu coração... nele, as pessoas só entram e mudam de "prateleiras", mas nunca saem.
Na verdade, tenho a sensação que vou dando de presente às pessoas pedacinhos do meu coração, e presentes a gente não pede de volta...
Fico perdida nesse mundo de não-relacionamentos, de pessoas descartáveis, de amor tratado como objeto de consumo que desejamos cada vez mais quando não podemos ter, e que uma vez que o temos, perdemos o interesse tão rapidamente como crianças mimadas diante de mais um presente, que só será interessante até que quebre a primeira imperfeição, ou até que a próxima novidade apareça...
Sei lá... talvez eu seja mesmo de 1912, como me diz um amigo...
Mas eu quero amar sim, e não importa quantas vezes eu caia...
Já sofri sim, e muito por amor, e provavelmente continuarei sofrendo; e também não tenho medo de sofrer por amor... aprendi grandes lições desses sofrimentos...
Aprendi por exemplo, que o único motivo pelo qual sofremos muito é porque fomos muito felizes, é porque encontramos e vivemos com pessoas que tocaram e mudaram as nossas vidas, que nos ensinaram lições valiosas, dividiram momentos preciosos e, com tudo isso, ganharam o direito de levar um pedaço de nossos corações quando partiram. E daí se sofremos?? Vale a pena deixar de viver tudo isso apenas para não sofrer?? Grandes ganhos não envolvem sempre grandes riscos??
Sim, a queda pode ser enorme, dolorosa, mas só porque o amor tem esse poder de nos tirar do chão, nos levar às alturas, e em casos especiais, com muito trabalho, as pessoas conseguem permanecer lá...
Mas mesmo que não consigamos isso, a dor da queda com certeza é compensada pela vista que temos quando estamos lá em cima...

(E por que Vinícius não era fraco não, fica mais um...)


Soneto Do Amor Total
Vinicius de Moraes
Composição: Vinicius de Moraes

Amo-te tanto, meu amor... não cante
O humano coração com mais verdade...
Amo-te como amigo e como amante
Numa sempre diversa realidade.

Amo-te afim, de um calmo amor prestante
E te amo além, presente na saudade
Amo-te, enfim, com grande liberdade
Dentro da eternidade e a cada instante.

Amo-te como um bicho, simplesmente
De um amor sem mistério e sem virtude
Com um desejo maciço e permanente.

E de te amar assim, muito e amiúde
É que um dia em teu corpo de repente
Hei de morrer de amar mais do que pude.