quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

O melhor lugar para passar o aniversário de São Paulo é... No Rio!!

Rio das Ostras... Sim! Amo muito tudo isso!! Principalmente quando lá não é feriado...


A viagem começou com descobertas importantíssimas: carro tem chicote (claro né... se tem cavalo, tem que ter chicote! Como não pensei nisso antes?) Enfim, o chicote do ar condicionado do táxi quebrou... Como será que ele vai fazer para controlar os cavalos sem chicote?? 


Dia 1, ainda, cena dois: discussão importantíssima sobre psicanálise... Onde eu estava com a cabeça quando fui falar pra Anali que ela devia fazer análise, e com um Psicanalista homem... horas e horas para explicar... (Mas que ela ia ser o êxtase de qq terapeuta, isso ia...)


Dia 2 - Cena marcante: D. Sandra andando de van... hahaha, nunca achei que ia ver esse dia... Muito bom... E como só ela andar de van não é suficiente, o cabrador da van tinha a voz do Pato Donald!! Coitado, era até bonitinho... fiquei imaginando a reação das meninas que vão falar com ele, quando ele abre a boca... tadinho... E a gente acha que a vida da gente é difícil?? Mil vezes cabelo crespo e uns poucos quilinhos a mais do que uma voz de Donald (ou de ratinhos da Cinderela - essa acontece com mulheres)


Aproveito pra avisar que quem quiser abrir uma pizzaria rodízio, vai pra Rio das Ostras... Fila enorme pra comer uma pizza meia boca, só porque era rodízio...


Dia 3 - Pastel de camarão e água de coco de frente pro mar... Não tem preço. Com sessão de compras na Rua dos Biquinis, em Cabo Frio - Dia perfeito!!


Dia 4 - Mergulho no mar (no domingo 'tava muito frio e com tempo nublado), bolinho de aipim (para nós, paulistas, mandioca mesmo) de queijo - nem tava lá essas coisas, mas com sol e mar fica tudo ótemo (como diria a querida amiga Anali)


Resto do dia tranquila na piscina...


E tem gente que ainda tem dificuldade pra responder por que merece viver...
Linda, eu mereço viver pra aproveitar todos esses momentos


Pena que tudo acaba, e a terça-feira foi de trabalho e muito sono...

sábado, 16 de janeiro de 2010

Eu recomendo: Filme: Sherlock Holmes

Bom, gosto do Guy Ritchie. Não por ele ter sido casado com a Madonna, embora tenhamos que admitir que pra alguém ficar casado tanto tempo com ela tem que ter, no mínimo, personalidade.


Mas começei a gostar dele por causa dela sim, ou de um videoclip dela, que ele dirigiu. What it feels like for a girl (que esteve em uma das minhas postagens) é um clipe marcante... um dia de fúria feminino (embora eu admita que jogar o carro contra o poste com a velhinha dentro tenha sido uma baita sacanagem... mas, vai saber... talvez fosse a sogra dela... Deus sabe que já tive vontade de fazer algo do tipo com uma ex-sogra algumas vezes...rsrsrs). 


Mas voltando ao assunto inicial, Sherlok Holmes é um filme engraçado, com o tipo de humor inteligente que eu gosto. Com uma produção muito bem feita, um bom enredo e atores que cumprem muito bem os seus papéis.


Desconheço os livros e a personagem original, mas o desleixado, carente, ciumento, irônico e certamente desequilibrado Holmes interpretado por Robert Downey Jr.é ótimo. Sua parceria com o certinho e (quase) politicamente correto Dr. Watson (Jude Law) é uma combinação excelente.


Vale muito a pena ver!!!






sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Desabafo... Falando muito e dizendo pouco

Hoje tentei escrever sobre mil coisas... Mas, quando algo te incomoda, não adianta querer esquecer, mudar de assunto...


Tão difícil escrever... Porque algumas coisas são difíceis de entender... Porque de alguma forma aprendi a ter uma mania de perfeição: tentar ser sempre justa, correta, controlar meus sentimentos, levar o sentimento dos outros em consideração, não gritar, não bater, não xingar; não criar situações que deixem o clima desagradável... Deus!!! Como tudo isso cansa!!! E onde foi que aprendi tudo isso??? (quem conhece minha mãe entende bem essa pergunta... devo ter aprendido em alguma outra vida, como grande dama talvez... rs)

E aí, quando fico chateada com alguém, não me sinto no direito... Porque as expectativas são minhas... Porque a pessoa não quis, intencionalmente, me magoar... Porque não falar com aquela pessoa vai criar um clima desagradável pros outros...

Mas e aí??? O que eu faço com o sentimento?

Hoje to sentindo um milhão de coisas... Tô p.. da vida... Não, não, vamos ser bem claras, afinal, tenho esse direito... Tô puta mesmo!! Com essa minha mania de perfeição...

Com o outro... bem também to puta com ele, mas acho que estou mais triste... Ou não, ou estou tão puta quanto triste, mas minha mania de perfeição disfarça a raiva com justificativas, que até podem fazer sentido, mas que não mudam meus sentimentos.

E ai, quando se junta raiva, decepção, tristeza e um amigo que se ama muito... O que fazer?? E quando saber qual o momento de aceitar que alguém a quem eu amo não merece estar no seleto grupo de pessoas a quem eu chamo de amigos? E como aprender a deixá-lo partir (ou encarar o fato de que foi apenas a ilusão que te fez achar que aquela pessoa, algum dia, realmente esteve ali...)