quarta-feira, 22 de abril de 2009

Sobre Deus



Tenho pensado muito sobre Deus. Não que eu acredite que pensar sobre Deus vai me levar a entender Deus, muito pelo contrário, quanto mais penso mais confusa fico e percebo que frequentemente minha visão de Deus não coincide com minhas atitudes frente a Deus.

"Deus é a inteligência suprema, causa primária de todas as coisas" (Livro dos Espíritos). Gosto dessa resposta, mas vamos combinar que ela diz muito mas explica pouco. Acredito numa causa primária de todas as coisas, acredito que a vida de todos corre em direção à um propósito maior e que estamos na Terra num ciclo de várias vidas em direção a uma evolução. Pra que? Vamos evoluindo em busca da perfeição com qual propósito? Já me perguntei isso vezes o suficiente pra desistir e achar uma resposta, pelo menos por enquanto... volto à esta pergunta daqui à algumas encarnações.

Até que ponto, porém, acredito que Deus, como causa primária de todas as coisas, interfere no que vivemos hoje? Acredito que as coisas já funcionam perfeitamente. Não consigo acreditar num Deus que interfere, que tem preocupações individuais, que ouve nossas preces e as atende. Falando de um modo bem direto, acredito num Deus que Deus tá pouco ligando pro que fazemos ou deixamos de fazer. Nossos acertos não o deixa feliz, assim como nossos erros não o decepcionam, até porque Deus tem que ser onisciente, e portanto já sabe que vamos errar. Deus não vai perdoar ou deixar de perdoar nada, porque na minha noção de Deus não existe a culpa.

Acredito num Deus que é a inteligência suprema, e é sim a causa primária de todas as coisas. Acredito num Deus de amor sim, aliás, a capacidade de sentirmos amor é por si só o meu maior motivo pra acreditar que existe um Deus. É o amor essa perfeição para a qual vamos evoluir, porque qualquer característica boa, qualquer virtude, pode ser explicada por este sentimento. Todas as nossas qualidades são manifestações do amor que sentimos pelos outros, pela vida e por nós mesmos.

Não acredito porém neste Deus paternalista, que protege e apoia seus filhos. Acredito num Deus imparcial, que criou um mundo com leis perfeitas, às quais estamos todos submetidos; ou uma única lei perfeita, a lei de causa e efeito, que funciona pra tudo que é material e imaterial, que abrange matéria e espírito. Dentro disso não há bem e mal, certo e errado, pois todas as atitudes nos trarão exatamente o resultado que precisamos para crescer, pra evoluir. Temos o livre arbítrio de escolher se vamos optar pelas atitudes que nos trarão ensinamentos da forma mais fácil ou mais difícil, temos a opção de aprender o que temos que aprender, ou ignorar as lições e, por consequencia, mantermos ações que nos trarão as mesmas respostas não desejadas. As leis estão ai, e se cumprem.

Isso não significa que não acredito que podemos ser ajudados em alguns momentos; só não acredito que essa ajuda vem de Deus, mas sim de uma legião de espíritos desencarnados que fazem parte de uma rede de relacionamentos interdependentes, e que por isso vão aprendendo, como nós vamos aprendendo enquanto seres encarnados, que se queremos mudar a qualidade da realidade em que vivemos, temos que nos ajudar mutuamente; que a minha vida e o meu mundo serem melhores, depende da vida e do mundo dos meus vizinhos serem melhores tb. Só caminhamos enquanto grupo, e portanto esses espíritos desencarnados nos ajudam, nós os ajudamos, e vamos todos fazendo a nossa parte para criar uma realidade melhor.

Acreditar nisso significa que alguns dos meus hábitos arraigados devem ser mudados:

Se não acredito que Deus tem preocupações com indivíduos, não adianta rezar e pedir nada à Deus, ou falar Deus vai ajudar, e até mesmo o pai nosso, que eu rezo toda noite perde uma boa parte do seu sentido; melhor falar com quem está mais próximo mesmo, com os mentores, anjos da guarda e toda a espiritualidade que está ao nosso redor, buscando fazer o melhor para que o mundo evolua.

Já tive dúvidas quanto à existência de Deus, mas essa visão que tenho hj de Deus me permite ter uma fé inabalável, não porque Deus vai ajudar, mas pq estou submetida à uma lei perfeita que faz com que minhas atitudes tenham a exata consequencia necessária pra eu aprender o que tenho que aprender, pq me faz saber que se eu errar, não preciso pedir perdão à ninguém, apenas tentar acertar da próxima vez, pois meu erro garantirá que terei futuramente outra chance de acertar. Sem punições ou recompensas a vida fica muito mais leve e fácil de ser vivida.

Aí vc me pergunta: Ok, mas então Deus fica o tempo todo fazendo o quê, nada?
Ah, sei lá, mas ele deve ter coisas muito mais interessantes pra fazer do que ficar cuidando das nossas vidas, não deve?